Ir para conteúdo

coluna BARTPAPO 01-04-2022

Coluna BARTPAPO com Geraldo Câmara -Tribuna Independente–0104-2022

BALANÇA MAS NÃO CAI

Quem não se lembra daquele famoso Edifício “Balança Mas Não Cai”? Um edifício cheio de humor, piada para todo o lado, humoristas os mais famosos desfilando suas agruras, tristezas e até felicidade pelos corredores, saguões e cantinhos do edifício.

Pois existe um. Um, não. Muitos “balanças mas não caem” lá pela capital federal. Muitos humoristas querendo fazer o povo rir enquanto outros nos preferem fazer chorar. Muita situação que nem parece da vida real e muita, mas muita mesmo confusão por todos os cantos numa desenfreada corrida para ver quem é o mais sabido.

Sabido? Sabidos e espertos estão por todos os lados procurando onde está o bolo da eterna festa, cada qual querendo pegar o seu quinhão.

O edifício está cheio. Gente saindo pelo ladrão. Ou será ladrão saindo como gente? O fato é que naquele lugar tudo balança, tudo está em eterno estado de ebulição mas – incrivelmente fantástico – não cai. E não cai porque fica difícil encontrar engenheiros especializados naquele tipo de obra. Tem sempre alguém que coloca uma estaca, um amparo aqui, outro ali enquanto todos vão tentando sobreviver a furacões petrolíferos da mais alta qualidade. E nesse balançar sem fim, podem ter certeza: Nem nada nem ninguém cai.

Porque a história está aí para mostrar que ela, a própria história se repete. Em todos os seus pormenores. Temos que admitir, no entanto, que existem muitas figuras naquele planeta que tentam fazer com que o país sobreviva aos mandos e desmandos. Existem pessoas do bem que não estão ali para fazer piada, mas para tentar mudar o curso da história. E, com sacrifício vão tentando segurar as estacas, injetar cimento em cada uma delas e buscar meios para equilibrar o edifício que tenta mas não haverá de cair.

Muita gente que está lendo este artigo há de estar querendo colocar a carapuça e a retrucar dizendo em alta voz que não existe, que por lá não há nenhum edifício como esse, mas a verdade é que são muitos os arranha-céus e estão espalhados por todo este país. Dos pequenos aos mais altos, contendo de tudo, Um terremoto talvez fosse uma maneira de evitar a queda ao invés de derrubar.

E aí entra a necessidade de sair da fantasia e entrar na realidade em que pedimos insistentemente que nosso país mude. Mude seus métodos e sistemas; mude sua maneira de politicar, de administrar; busque a seriedade em cada ato; mude o desrespeito para com seu povo. Mude, mude, mude.

E nessa de mudar, coloque verdadeiramente o respeito à Constituição deixando que cada poder exerça o seu papel com a dignidade e a independência que lhe foi atribuída. A invasão do espaço de cada qual desfaz o papel de todos eles transformando a democracia numa experiência malograda que contribui para que seus ocupantes fujam das regras estabelecidas e das verdadeiras convenções democráticas.

E é quando voltamos figurativamente ao edifício que “balança mas não cai”. Não cai porque o povo brasileiro não deixa. Não cai porque a sociedade, por mais balançada que esteja ainda acredita que tudo e todos podem mudar. Ainda crê que a seriedade possa suceder ao eterno humorismo e que não queiramos mais sorrir nem gargalhar ainda que as cuecas e as malas se encham do dinheiro que nos pertence.

E, para o bem, não sei se deles ou nosso, do povo brasileiro, o edifício balança, balança, mas não cai.

FOTONOTAS

F

José de Melo Gomes – Quer se divertir e ao mesmo tempo conhecer de vida converse com Zé de Melo, Conselheiro do Tribunal de Contas aposentado e hoje, ainda aficionado pelo que faz à frente da concepção e construção do Memorial do TCE AL. Zé é um fantástico papo repleto de exemplos que vão dos mais sérios relativos à educação aos mais divertidos entre um Old Parr e outro. Riso fácil e contaminador transforma facilmente seus amigos em seus admiradores e constantes interlocutores. Estar com esta figura cativante é ganhar muito de experiência de vida. A propósito, último 29 de março foi seu aniversário e ficam aqui nossos parabéns.

Marluce Falcão – Por trás da necessária dimensão que o cargo exige como promotora de justiça, Marluce Falcão é uma pessoa adorável no trato com as pessoas, com o seu carisma intelectual e sobretudo com a decência com que trata caso a caso sob a sua responsabilidade. Marluce encara hoje alguns desafios como a proteção ao idoso e, mais recente, representa no estado de Alagoas o maravilhoso trabalho que envolve a busca por desaparecidos utilizando o cruzamento de DNAs. Desafio após desafio, assim é essa figura admirável.

PARE PRA PENSAR ( do meu livro do mesmo nome)

A liberdade é mais utópica e intocável quando você se deixa prender ao próprio ego.

ALERTAS DO DIA

  • Vamos começar o verdadeiro período eleitoral porque a partir do dia 2 de abril começam as desincompatibilizações a serem feitas pelos ocupantes de cargos no executivo. Um deles é o governador Renan Filho que deixa o cargo amanhã para concorrer ao Senado. Aliás, algo de inédito acontecerá se ele for eleito senador porque estará sentado ao lado de seu paí, Renan Calheiros na mais alta casa legislativa do país. Merecedor, por seu trabalho no executivo alagoano, Renan Filho está esperançoso para a disputa.
  • Alerta, no entanto, para o caso do prefeito JHC que, dizem, só bate o martelo na última hora do sábado, amanhã. Já foi e voltou por diversas vezes deixando a dúvida se será candidato a governador ou se vai permanecer prefeito de Maceió. Para muitos, se deixar passar essa oportunidade estará deixando passar o cavalo selado. Para outros, JHC tem que cumprir sua missão de administrar Maceió até o fim do mandato para o qual foi eleito. Portanto, vamos aguardar amanhã, até o último minuto para ver o bicho que vai dar.
  • Interessante também são algumas disputas que aparentemente estão fora de foco, mas que não brincam em serviço. Uma delas é a do Senador Fernando Collor que não está nem aí para a preferência sobre Renan Filho e continua dando tudo de si interior afora. No entanto, dizem os que o conhecem bem que Collor está caminhando no seu próprio caminho, mas de olho no grande atalho que pode ser sua candidatura ao governo. E de última hora. Essa atitude pode mudar completamente o panorama atual e fazer com que os marqueteiros pensem radicalmente em seus planos.
  • Impressionante como é difícil encontrar unanimidade na gestão pública. Mas, ainda que raramente, acontece. Esse é o caso do Secretário da Fazenda, George Santoro, eleito por todos como o melhor que já passou pela administração alagoana. E realmente tem sido, demonstrando uma total capacidade. Santoro consegui encontrar o equilíbrio fiscal do estado e fez com que o governador Renan Filho governasse com absoluta tranquilidade econômica e financeira. Daí, o futuro governador, Paulo Dantas ter pedido para que ele ficasse durante seu curto mandato. Parabéns! A ambos.

POR AÍ AFORA

# O tapa que o ator Will Smith desferiu no Chris que apresentava o espetáculo de entrega do Oscar foi uma demonstração de novos tempos em que certas brincadeiras são inaceitáveis. Principalmente quando se faz referência à debilidade ou deficiência de alguém. Claro que existem outras medidas que não a força para que se tire satisfação do agressor, mas o sangue deve ter subido à cabeça do ator, aliás o premiado da noite como o melhor, mas que não pensou duas vezes e partiu para a ignorância. Pena que o incidente acabou por tirar o brilho de evento tão importante.

#O presidente do Tribunal de Contas de Alagoas, Otávio Lessa, viaja na próxima semana para a cidade argentina de Termas do Rio Hondo para participar da primeira reunião anual da Associação de Entidades Oficiais de Controle Público do Mercosul e que acontecerá de forma conjunta com a Primera Reunión Anual del Consejo Directivo del Secretariado Permanente de Tribunales de Cuentas. Organos y Organismos Públicos de Control Externo de la República Argentina. Esses encontros são de relevante importância para a permanente atualização dos Tribunais no Brasil. Alagoas presente, uma vez que o presidente Otávio integra a referida Associação.

# Rememorar fatos de nossa vida é uma forma de reviver. Lembrava-me de um fato curioso ocorrido em Acapulco, no México. Por lá em 1976 aconteceu o Festival Ibero-Americano de Música e como eu era um dos convidados especiais do I Congresso Internacional de Comunicação fui convidado a ser o jurado do Brasil naquele Festival. O cantor era Agnaldo Rayol com uma composição de Sílvio César. Cada jurado só poderia votar em um dos outros países, jamais no seu. Nem me lembro em quem votei, mas o que marcou foi o algo inédito para o Brasil que ficou em último lugar. Depois, nós três ficamos curtindo o fracasso com muita tequila.

# Essa questão de negociação para o término da guerra entre a Rússia e Ucrânia tem aspectos realmente interessantes. Um deles é que corre a notícia de que a paz vai ser selada se a Ucrânia aceitar não entrar para a OTAN. Ora, gente, a guerra começou por isto. A Rússia não admitia que os países da OTAN estivessem em suas fronteiras, daí exigir que a Ucrânia ficasse fora para que não fosse um país do Tratado bem do seu lado. Então fica a pergunta: Por que tanta guerra, tantas vidas perdidas, tanto massacre? Se a Ucrânia acabaria fazendo o que a Rússia quer a isso não chamamos de acordo, mas de rendição branca.

ATÉ A PRÓXIMA

Amanhã, sábado é dia de “BARTPAPO com Geraldo Câmara”, de volta ao modelo presencial. Na BAND, canal 38.1 aberto e NET, canais 18 e 518, das 9 às 10h da manhã. Assista também pelo Youtube no canal “Programas do Geraldo Câmara”. Fale conosco pelo geraldocamara@gmail.com ou pelo Whats’App 82 99977-4399

Categorias

OUVIDOR GERAL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s