Ouvidor Geral 18-03-2019

                               JOVENS INFELIZES MATADORES

É claro que são infelizes. Ou foram. Morreram também por conta de uma profunda infelicidade que devem ter adquirido em suas curtas vidas. Por que? Quem sabe? Quem pode avaliar o que se passa na vida de tantos e tantos jovens que não encontraram seus caminhos ou não tiveram quem os fizessem encontrar? Frustrações, depressões e esses tantos problemas da vida moderna não são potencializados apenas por adultos já castigados pela vida. São também de jovens e aí os classifico em idade mental e não cronológica que vão adquirindo por ausências, por orientações erradas e diversificadas, por Redes Sociais sim e por inúmeros exemplos que adquirem frente às telinhas com as quais nasceram e conviveram. Dizem que na tragédia de Suzano os motivos ainda desconhecidos estariam nas causas acima, nos bullyngs sofridos na infância, mas sobretudo nos “games” estimuladores do mal. E ainda fica a pergunta da questão do acesso a armas e onde. Estariam em casa? Seriam apenas de posse? Por esses e outros motivos não aceito a lei de posse de armas recentemente aprovada. Não se pode criar facilidades para o crime e não será pelo fato de se ter uma arma em casa que se está livre de ser vítima. No caso de agora, dois heróis de “games” resolveram trazer para a vida real as artimanhas do jogo e criar uma nova cena no colégio vitimando 10 pessoas e a eles próprios talvez achando que com o gesto final fossem lembrados como heróis da internet. Nós adultos precisamos continuar pensando na educação de nossos filhos, na moralidade da vida, nos princípios que nos regeram há tantos anos atrás e na decadência desrespeitosa, com exceções, da atual geração. A partir daí talvez possamos evitar que mais “Suzanos” aconteçam.

DESTACÔMETRO

RON LESSA

O destaque da semana vai para o ex-governador e ex-deputado federal Ronaldo Lessa, agora guindado à condição de Secretário de Estado da Agricultura, sem dúvida uma das principais secretarias do governo. Ronaldo vence mais uma vez.

PÍLULAS DO OUVIDOR

Contestações à parte, pontos e contra-pontos os mais diversos e a discussão continua sobre a questão da posse e até do porte de arma pelo cidadão comum. Um tema que sobe e desce à medida em que fatos novos vão acontecendo.

A tragédia de Suzano suscita novas discussões, sim. Porque teremos que perguntar o que levou os jovens ao massacre, mas sobretudo como tiveram acesso à armas tão significativas para levarem a cabo seu plano sinistro.

E como que a demonstrar que este problema não é nacional dois dias depois do acontecido a pacata Nova Zelândia assistiu atônita a um outro massacre que acabou com a vida de 49 pessoas naquele país.

Que tipos de transtornos acontecem nas cabeças dessas pessoas, aqui ou alhures, quando resolvem pegar em armas e matar desconhecidos inocentes? A troco de que e com que tipo de mensagem pensam em chamar a atenção do mundo?

Mudemos de assunto. A política está fervendo desde já no nosso estado em função de eleições no próximo ano para prefeitos e vereadores dos 102 municípios. Todos começam a ser organizar e a buscar apoios antecipados.

O governador Renan Filho com sua eleição comprometendo um apoio de mais de 70% do eleitorado sente a obrigação de fazer, por exemplo, o prefeito de Maceió, já que, queira ou não, o governador sempre será uma força na capital.

E a propósito disso, os nomes começam a surgir tais como os de dois ex-ministros, Maurício Quintella e Marx Beltrão que sentem-se credenciados a concorrer ao cargo em Maceió. Agora, seguidos de perto por Ronaldo Lessa.

O Ministério da Saúde alerta, no Dia Mundial do Rim, a população, os profissionais de saúde e os gestores públicos de saúde para a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da Doença Crônica Renal. A doença renal é silenciosa, não apresenta sintomas e tem registrado crescente prevalência.

“O Governo Federal está sendo dominado pela ideologia da violência, apresentada como salvadora do país. Mas o resultado é a barbárie”, disse a deputada federal Tereza Nelma na Comissão Sobre o Estatuto da Mulher, em Nova Iorque.

ELIANA CAVALCANTE

Eliana Cavalcante (foto) bailarina, professora de ballet, dona de escola do gênero, um nome e um ícone no ambiente cultural de nosso estado. Eliana, fora ballet é dona de uma enorme cultura e mostrou isso no nosso Bartpapo.

ABRAÇOS IMPRESSOS

ELIEZER SETTON

Os abraços vão para um artista com A maiúsculo e que mostrou no Bartpapo seu mais novo projeto praticamente concluído que é o CD “Em nome do Forró”. Uma obra-prima com novas interpretações de antigas músicas de famosíssimos compositores em forma de forró. Com criatividade imensa do próprio.

 

Anúncios

Bartpapo 18 03 2019 Eliana Cavalcante

Ouvidor Geral 11-03-2019

                            ELAS SEMPRE ENCONTRAM UM LUGAR AO SOL

Elas, desde Eva, se é que existiu, são as soberanas do mundo. Besteira de certos homens que sentem-se diminuídos pelo poder das mulheres porque elas realmente sempre estiveram atrás dos grandes homens e até dos pequenos desprotegidos, mas, na verdade deveriam ser colocadas ao lado. Por questão de justiça, de coerência, de reconhecimento. Isto sem avaliar que, pouco a pouco, elas não precisam mais dos homens para vencerem em todos os segmentos da vida. Líderes por vocação, submissas às vezes por “razões que a própria razão desconhece” elas estão liderando cada vez mais, abrindo caminhos, mostrando o que se costumou chamar e corretamente de empoderamento feminino. Um poder que emana da própria natureza criando valores por “mares nunca dantes navegados” e mostrando passo a passo – o que já se dizia há séculos – que o mundo é das mulheres. Que homem se julga totalmente livre desse subjugo delicioso que é praticado por elas, normalmente de maneira inteligente e convincente deixando-nos a nós, homens, inteiramente concordantes de que só os cegos de alma vivem sem elas? Ainda assim todos as admiram  porque realmente elas têm aquele algo mais que pode ser admirado, mas jamais igualado. Vivas às mulheres no seu Dia Internacional.

DESTACÔMETRO

MAJOR DANIELE

Destaque, sem dúvida, vai para a Major Daniele, comandante da Patrulha Maria da Penha, defendendo o direito das mulheres de não serem agredidas covardemente. A Major desempenha seu papel com galhardia na sociedade.

 

PÍLULAS DO OUVIDOR

A banalização da vida está em ascenção e não dá para se admitir. Principalmente contra as mulheres  mata-se como se estivessem participando de uma festinha como outra qualquer. Não dá para entender.

Alguém disse que “em mulher não se bate nem com uma flor” sintetizando o valor delas e até a sua fragilidade. No entanto a máxima não nos parece mais verdadeira, na medida em que o crime contra elas já ganhou até nome: feminicídio.

Não há um dia em que a televisão deixe de mostrar uma violência contra uma mulher em vários lugares do Brasil. A coisa está virando epidêmica e não se pode mais ficar apenas na retórica. É preciso avançar em todos os sentidos.

Lembro-me que quando surgia uma notícia de que algum homem havia batido em uma mulher a revolta era muita e este homem estaria marcado para o resto da vida. Hoje a coisa está virando rotina nos noticiários e na vida real.

A Lei Maria da Penha veio assegurar outros direitos para que a mulher agredida faça suas queixas e mude  a sua posição passiva com ampla garantia das autoridades. Mas, mesmo assim, os “machões” continuam a agir.

A deputada federal Tereza Nelma integra a Comissão Brasileira que participará da 63ª Sessão da Comissão Sobre o Estatuto da Mulher), na sede da ONU, em Nova York.. Presença internacional de Alagoas.

O projeto Papo de Mestre, idealizado pela Secretaria da Cultura retoma as atividades em 2019 abordando o tema “Orgulho e preconceito: O empoderamento da mulher no século XXI”.   Biblioteca Pública Estadual , quinta-feira (14) às 9h.

O aumento da violência contra as mulheres durante o carnaval e ausência de medidas concretas de prevenção, proteção e atendimento a esse grupo foi um dos assuntos discutidos em reunião entre a deputada Jó Pereira e representantes do Cedim (Conselho Estadual dos Direitos da Mulher).

“Na manhã do Dia Internacional da Mulher, as mulheres de luta de Alagoas se reuniram em uma grande caminhada pelas ruas de Maceió. Pela vida das mulheres, contra a reforma da previdência, em memória a Angélicas, Marielles e Dandaras”.(fonte: Tribuna Hoje),

GIGI ACIOLY

Neste mês de comemoração das mulheres com o seu Dia Internacional fixado em 8 de  setembro escolhemos uma jornalista de peso para representar a categoria. Gigi Acioly (foto), mulher de fibra e líder em nossa sociedade.

ABRAÇOS IMPRESSOS

VAN CÂMARA

Para elevar a mulher em todos os conceitos comece dentro de casa valorizando a que você tem ao seu lado. A minha Vanessa sempre mereceu este meu comportamento sob todos os aspectos. A mulher!