Ir para conteúdo

coluna BARTPAPO

Coluna BARTPAPO com Geraldo Câmara– Tribuna Independente -31-07-2020

NÃO LAVEM AS MÃOS

                 Estranho que em plena pandemia digamos isso, uma vez que essa é a prática básica de combate ao assédio do coranavírus e da sua propagação entre a população. Mas devo acrescentar que o assunto em questão serviu apenas de mote para outros assuntos em que a sociedade, quando não atingida personalísticamente costuma virar as costas ao problema e simplesmente dizer “lavo minhas mãos”. Uma maneira de dizer “não me meto nisso”, “não é problema meu” e outras tantas expressões que mostram a acomodação de grande parte dos brasileiros. Ao “lavarem as mãos” estão se omitindo de participarem daquele problema ou daquela ação que pode vir a comprometê-los ou a lhes darem mais trabalho, dependendo da ótica apresentada.

               No entanto, vivemos uma época de renovação, de conjugação de esforços, de solidariedade mesmo, onde a omissão prejudica um todo do qual cada um de nós faz parte. Sabem aquela história dos que acham que o que é ruim só acontece com os outros? A pandemia está mostrando que não é bem assim porque está levando parentes, amigos próximos e quem sabe se muitos deles não lavavam suas mãos diante da tragédia?

              Na verdade nem queremos nos alongar muito no tema no que diz respeito à pandemia, mas estender a expressão “lavo minhas mãos” a toda uma ação de vida porque ela está presente diuturnamente na vida de cada um de nós. Viramos as costas aos assuntos mais comezinhos, mas também as viramos aos posicionamentos políticos, governamentais e sociais. Lavar as mãos tem sido um ato rotineiro, prático e fácil de enfrentar, ou, melhor dizendo, não enfrentar problemas dos pessoais aos coletivos colocando-se na acomodação dos que esperam pelos que não lavam para serem protegidos e beneficiados por eles.

             Então pensemos: quem sabe não possamos começar a praticar uma ação que não nos é familiar? Quem sabe não possamos começar a dividir responsabilidades para o bem comum? Quem sabe não possamos viver uma vida de trocas ao invés de uma vida unilateral? Quem sabe não possamos deixar que nossas mãos fiquem um pouco mais sujas por nos interessarmos mais pelas comunidades e pela cidadania?

            Aí, sim! Se o fizermos estaremos juntos construindo um mundo melhor e lavando nossas mãos apenas por higiene e por proteção. Nunca por desprezo aos problemas do mundo.

           Se vocês entenderam não lavem as mãos!

ALERTAS DO DIA

  • Estamos em campanha para eleições municipais visando prefeitos e vereadores. Muita gente colocando suas propostas e suas “propostas” nas Redes Sociais. E é aí que entra o cuidado para que você saiba escolher sem “lavar as mãos”.
  • Não prejudique os donos de bares e restaurantes que tanto precisam de seus negócios. Não se aglomerem, usem máscaras. Vocês podem fechá-los.

PARE PRA PENSAR (do nosso livro do mesmo nome)

A confiança em nós depositada é o investimento em nosso banco de vida.   

Categorias

ARTIGOS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s