Ir para conteúdo

Ouvidor Geral 12-09-2022

Ouvidor Geral” para o jornal Primeira Edição de 12-09-2022 – Geraldo Câmara

E AGORA, JOSÉ?

Precisamos quantas vezes dessa expressão para mostrarmos muitas emoções. Da curiosidade simples à indignação ou à perplexidade diante de fatos que nos atormentam. Ou não. As eleições, ou melhor dizendo a campanha eleitoral é repleta de curiosidades que vão desde as propostas mais loucas e cretinas até as mais convincentes, mas que não vão levar o candidato a absolutamente nada por total falta de apoio ou de compromisso partidário com aquelas ideias. O mar de loucuras, de acertos, de erros, de propostas indecorosas está com as ondas no seu pico e de lá tiramos muito pouca coisa para o futuro deste país. Quando vemos aqueles candidatos a fazerem as mais estapafúrdias propostas, como se elas fossem factíveis, porque eles acreditam que são, aí é que a coisa complica porque passamos a ver que república federativa do Brasil, fede em alguns aspectos e emana de algumas pessoas esse cheiro de que “estamos indubitavelmente perdidos”. Na verdade, estamos falando de propostas, mas inequivocamente, elas não existem. Elas são trechos copiados sem discussão e colocados em planos que jamais poderão ser alcançados porque não têm base concreta, nem conteúdo, nem nada. Claro que, com raras exceções, mas a análise do Guia Eleitoral nos leva cada vez mais a não ter fé no Brasil, nos seus comandos, nas suas propostas. A crise de educação que assola o país desde tantos anos nos lega essa enxurrada de gente despreparada que pretende à frente estar nos planejando e nos comandando. E aí, nos lembramos do poeta e apenas perguntamos com um dedo na testa: “E agora, José?”

DESTACÔMETRO

O destaque vai para o Ministro do Superior Tribunal de Justiça, o alagoano Humberto Martins que tive o prazer de conhecer no princípio do século como presidente da OAB-AL. Seu crescimento foi fantástico e minha admiração é grande.

PÍLULAS DO OUVIDOR

Alagoas, através do Tribunal de Contas foi anfitriã do Encontro Regional da, Atricon que é a Associação dos Membros de Tribunais de Contas do Brasil. Um evento da maior importância e que trouxe a baila fantásticas discussões sobre o controle externo.

Convidado para a palestra magna, o ex-presidente do Superior Tribunal de Justiça, Ministro Humberto Martins deu um show de inteligência, de verve e de sabedoria ao discorrer sobre o assunto como um mestre o faria.

O mais interessante do seu discurso foi o momento em que ele, ao fazer as comparações com a humanização do serviço colocou o amor como parte preponderante para a função exercida, o que deixou a plateia estasiada. Depois doi agraciado com a Comenda Guilherme Palmeira.

Também a tese de que os tribunais de contas não são punitivos, mas de uma importância vital para que a transparência no serviço público seja anotada deixando para o judiciário a parte que seria a punitiva.

O outro palestrante da tarde foi o ex-presidente da Atricon, conselheiro Fábio Nogueira, da Paraíba e que, do alto de sua experiência abordou alguns temas técnicos de suma importância para os que militam no meio das “contas”.

E para abrilhantar ainda mais aquela tarde técnica, nada melhor do que o Coral “Contas e Cantos” do TCE Alagoas que mostrou seu brilho extraordinário seguido mais tarde pela apresentação do carismático Eliezer Setton.

À noite e oferecido pelo Governo do Estado, o TCE-AL recebeu os convidados de Alagoas e de fora para um jantar regado a espetáculos folclóricos, de dança e canto e que realmente deixou a todos profundamente encantados.

Agora, todos estão se preparando para o evento anual que reunirá os tribunais de todo o Brasil no Rio de Janeiro para o Congresso Brasileiro dos Tribunais de Contas. Da maior importância para novas ideias e aplicações no controle externo.

O presidente do Tribunal de Contas de Alagoas, Otávio Lessa, sempre homenageado o foi também durante a comemoração dos 30 anos da Atricon, cujo presidente também na foto, Conselheiro César Miola, entregou medalhas e diploma a Otávio como decano e como presidente do TCE-AL.

ABRAÇOS IMPRESSOS

Por onde anda este poço de cultura que é Isvânia Marques? Seu último posto público foi como secretária de cultura da Palmeira dos Índios, mas permanece como presidente da Apalca – Academia de Letras e Artes de Palmeira. Meus abraços e saudades desta grande guerreira cultural.

Categorias

OUVIDOR GERAL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s