Ir para conteúdo

Ouvidor Geral 20-07-2020

                      POR QUE AS PESSOAS DEVEM SER CANDIDATAS?

             A primeira questão é se devem. E aí a resposta é tranqüila quando se tratar de poder e dever exercer a cidadania em toda sua plenitude. Então, se o preparo democrático estiver presente naquela pessoa, ela deve sim, aproveitá-lo para colocar o  direito de defesa da sua comunidade num lugar de destaque e que o permita levar suas idéias para a realidade da discussão e da realização. A segunda questão deve-se ao fato de que a democracia permite a alternância no poder e que cabe ao povo usá-la, sobretudo se este poder não estiver sendo bem exercido por quem já está lá. A pessoa que sentir-se preparada para defender o povo, para mostrar a este mesmo povo que tem capacidade para exercer o cargo, deve sim, candidatar-se e brigar por uma eleição saudável e promissora. E aí, as questões sucedem-se. Uma delas é a do exercício do cargo, se for eleito. É preciso brigar com e pela instituição para mudar princípios e ações que já se tornaram comuns e em outras que moralizem o cargo e as funções inerentes a ele em e sob todos os aspectos. A coragem de se fazer confiar será o grande trunfo para uma vitória. Mas, na verdade, a coisificação das eleições foi tão grande nos últimos tempos que o verdadeiro homem – ou mulher, claro – de bem não quer expor seu nome a uma possível lama. E exatamente aí o buraco aumenta, os sujos tomam para si a missão de governar e legislar em terreno fértil para que o anti-desenvolvimento se faça presente e para que a democracia dê lugar a uma ditadura de métodos e de princípios. Melhor que o povo se mexa e ouça melhor os possíveis candidatos de 2020.

DESTACÔMETRO

                 O destaque vai para o médico-prefeito de Maragogi, Fernando Sérgio Lira que não deixa a peteca cair todas as vezes que dirige aquele município. Sempre à frente de tudo e absolutamente consciente do seu papel.

PÍLULAS DO OUVIDOR

É impressionante! O nosso presidente voltou atrás novamente e dessa vez contra ele próprio. Afinal, acabou por dizer que a cloroquina tem que ser apreciada por médicos. Que será que houve para se desdizer tão rápido?

Claro, presidente Bolsonaro! Vossa Excelência é um simples capitão reformado do exército brasileiro. Em que pese o valor dos nossos capitães eles não andam por aí dando uma de médico ou cientista.

Na verdade, só poderemos acreditar que encontramos o caminho para essa terrível pandemia quando chegar uma vacina eficiente e comprovada. Porque, não sou eu quem diz. São os cientistas. Só a vacina pode ser esperança de prevenção.

E a propósito disso dizem que uma infinidade de vacinas está sendo pesquisada em todo o mundo, Só queria saber por que estão dizendo que a grande parte delas deverá ser testada, quando em humanos, no Brasil.

Mudando completamente de assunto e ao mesmo tempo sem mudar vamos falar do auxílio emergencial que em boa hora o governo instalou neste processo. Milhões e milhões que estão ajudando as pessoas que precisam.

No entanto no meio desses milhões estão outros milhões de desaforados, de impertinentes que receberam o auxílio sem precisar tirando da boca de outros uma pequena salvação.

Agora, os tribunais de contas do país estão detectando que dentre esses existem muitos funcionários públicos efetivos e comissionados, o que se constitui em total absurdo. Mas também descobriram uma enorme falha do próprio governo.

O que fez o governo? Usou em muito casos os cadastros sociais, viu quem estava cadastrado e achou por bem distribuir por aí sem o menor esforço. Resultado é que colocou na vala comum quem deveria e quem nem sabia.

 Enquanto isso 2020 avança, a doença ainda em crescimento, a teimosia de abertura tomando conta das cidades, das autoridades e da população tirando do foco a cura e colocando a economia em primeiro lugar. Vamos ver no vai dar.

 

Convidei o grande compositor e cantor Macléim para o Bartpapo e fiz a ele uma surpresa. Exibi antes uma entrevista de 20 anos atrás. E em seguida o próprio se apresentando como nos dias de hoje. Vejam as fotos.

ABRAÇOS IMPRESSOS

                Os abraços vão para uma guerreira, Weldja Miranda que gosta quando a chamo de “empresária do entretenimento”. Muito justo porque além de ser uma lutadora na área dos eventos ainda canta assustadoramente bem.

Categorias

OUVIDOR GERAL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s