Ir para conteúdo

Ouvidor Geral 28-09-2020

PRA LÁ DE MARRAKESH!

                  Pois é, usando o termo a brincadeira e aceitando que Marrakesh sempre foi um sinal de longe, de terra perdida acho que o Brasil está exatamente assim. Sabendo que precisa encontrar um caminho, que está mais ou menos perdido no labirinto, mas que também tem a consciência de que tudo pode ser resolvido saindo do emaranhado de regras, de perdas e de soluções. E não estamos falando de crise sanitária que, obviamente nos abalou, mas de crise existencial do povo brasileiro que achou que havia se achado, que havia encontrado uma liderança e se vê à frente de uma série de “pseudos”, de um monte de interrogações. O governo ainda não conseguiu planejar. Algo simples. O governo ainda não sabe qual é a sua marca, o seu propósito, a sua maneira de ser para tirar o país de um perigoso pré. Se o pré não for tratado com a eficiência que merece o que será do pós? O que vimos até agora foi uma enorme colcha de retalhos com decisões que vão e vem, com falta de conhecimento e de estratégias e sobretudo, como já o dissemos sem um planejamento real. O Ministro de Economia teria carta branca para fazer o que achasse mais correto. No entanto, ultimamente apenas diz que a última palavra é do presidente. Quase que como já tirando o corpo fora desse tremendo impasse de ordens e contra-ordens, de MPs que se sucedem e que são anuladas também sem o menor cálculo de nada. Um governo que mostra instabilidade emocional, além da terrível instabilidade de governança, sem dúvida, que me perdoem os seus adeptos, nada contra, mas está bem pra lá de Marrakesh. Passou direto sem olhar.

DESTACÔMETRO

                 O destaque vai para o diretor-presidente do DETRAN-AL, Adrualdo Catão  que tem sido de grande dedicação na condução do órgão de trânsito. No momento está debruçado sobre o novo código que já tramitou no Congresso e aguarda sanção ou veto do presidente.

PÍLULAS DO OUVIDOR

Nossos sentimentos pelo falecimento do grande músico e líder de todos, Zailton Sarmento que nos deixou na última quinta-feira, 24, por conta de uma complicação após ter sofrido com a Covid 19. Um abraço enlutado em toda a família.

As eleições estão se aproximando e é hora de colocarmos as barbas de molho quanto a propostas sem princípios e sem fundamentos que já estão aparecendo sobretudo entre os candidatos a vereador. Difícil separar o joio do trigo.

Em relação a prefeitos fica difícil também, mas é mais fácil a análise de propostas, de coligações, de quem se junta comn quem e outras pérolas que fazem a dificuldade de uma eleição. Ou de uma votação. Votar não é fácil, não!

Outro aspecto que precisa ser muito discutido é a forma de votação, o manuseio de teclas e teclados. Sabemos que o TER está bastante preocupado em criar padrões, mas é preciso insistir que a pandemia ainda não acabou.

Estou fazendo essa coluna e assistindo um musical pela TV Cidadã e que está apresentando gênios como Agnaldo Timóteo e o saudoso Cauby Peixoto. Já não se fazem músicas como antigamente. O romance sempre foi a tônica.

E a propósito de Cauby houve uma época em sua vida que ele desapareceu dizendo que talvez fosse morar em Las Vegas. E foi. Em um famoso cabaré daquela cidade nos anos 50 ele se apresentava com o nome de Ron Coby.

Nos dias 08 e 09 de outubro como já noticiei aqui, Alagoas vai sediar virtualmente o Encontro de Gestão de Pessoas dos Tribunais de Contas do Brasil. Não fosse a pandemia seria presencial. Vamos prestigiar porque vai valer a pena.  

O Brasil alcançou mais de 4 milhões de pessoas recuperadas da Covid-19, representando 86,4% do total de casos da doença. Paralelamente a isso, os casos de hospitalizações e de pacientes em acompanhamento apresentaram estabilidade, com forte tendência de redução.

 Foi lançada a Campanha Nacional de Incentivo à Doação, que este ano traz o slogan “Doe órgãos. A vida precisa continuar”. A campanha tem como objetivo a importância da doação para salvar a vida de muitas pessoas que aguardam por um transplante.

 

E por falar em dedicação e deixando a minha parte de lado é bom reconhecer o trabalho hercúleo do presidente do Tribunal de Contas, Otávio Lessa (foto) que, em plena pandemia e com o corpo de servidores e demais conselheiros fez crescer o TCE-AL em todos os pontos e níveis.

ABRAÇOS IMPRESSOS

                    Os abraços impressos vão para uma jovem batalhadora, Flávia Gomes de Barros que à frente da comunicação do TRE-AL tem exercido um trabalho muito bem feito, inclusive praticamente como porta-voz junto à imprensa de um modo geral. Parabéns, Flavinha.

Categorias

OUVIDOR GERAL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s