OUVIDOR GERAL: Os dias em que o Brasil parou (ou continua parado)

O gigante acordou, levantou do berço esplêndido, fez um balanço e parou. Incoerentemente quando param os caminhões para o Brasil. Porque ninguém anda, os carros deixam de ter combustíveis, os mercados não têm mercadorias, as pessoas se igualam e pobres e ricos não terão suas comidas. Em compensação todas as atenções convergem para o lugar comum da insanidade que tomou conta da nação e que, com corrupção ou sem corrupção deixa à mostra também a enorme incompetência dos seus dirigentes. Ao mesmo tempo demonstra que o povo não sabe, mas manda. Não compactuamos de soluções temporárias e que não trazem nada de positivo ou de definitivo e os acordos que o Planalto tenta fazer com os caminhoneiros e nada é a mesma coisa. O fato é que essa greve fantástica mostrou a fragilidade total dos “planejadores” do governo que seguem regras ultrapassadas e talvez não acreditem nas revoluções do povo. Revoltas pacíficas como a dos caminhoneiros mas que são profundamente positivas no sentido de mostrar que o Brasil não é só deles, governantes desavisados. É nosso e muito nosso. Achamos que uma greve como essa acaba por representar toda a sociedade que grita sem gritar com os extorsivos preços dos combustíveis e que acabam por gerar despesas e aumentos de maneira espiral estendendo-se por todos os setores da economia. Se o caminho para acordar o país foi este, que o seja. Com prudência, mas com firmeza. Quem sabe, chegamos lá?


luiz dantas 2

DESTACÔMETRO

O destaque vai para o professor de publicidade da UFAL e, óbvio um senhor publicitário há muitos anos atuando em Alagoas. Luiz Dantas é um bom caráter que eu tenho o prazer de nutrir como meu amigo.

PÍLULAS DO OUVIDOR

O presidente Temer deu uma de resoluto colocou as tropas nas ruas e nas estradas para desbloqueá-las, principalmente no que diz respeito a combustíveis, gêneros de primeira necessidade e remédios. Uma ação necessária.

Tinha que fazer isto mesmo. No entanto, consideremos que as coisas não foram muito respeitadas e que as ações de greve e bloqueio ainda continuam com muitos caminhoneiros – ou serão as empresas? – em total desrespeito às ordens.

O fato é que, vamos e venhamos, essa greve assustou a gregos e troianos e mostrou como é fácil desestabilizar o país e pará-lo mesmo. Fragilidade em todos os sentidos das operações governamentais e das relações de negociações.

Por outro lado e que saudade de Juscelino Kubistchek vemos que o Brasil não quis, não soube ou não se interessou em investir em ferrovias e hidrovias, o que daria uma enorme importância à logística e colocaria em segundo plano as rodovias.

Um país de imensas extensões territoriais que não poderia utilizar suas rodovias para todo o sistema de transportes envolvendo cargas e passageiros e provocando deterioração permanente de suas estradas.

Quando falo com saudades do ex-presidente Juscelino, construtor de Brasília e responsável pela marcha para o oeste é porque, se tivesse sido eleito pela segunda vez em 1965, seu projeto era exatamente voltado para ferrovias e hidrovias.

Segundo o IBGE existem cerca de 45,6 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência no Brasil, o equivalente a 23,9% da população brasileira. Em Alagoas, o número de pessoas com deficiência é de 850 mil, 28,3% da população do Estado.

No entanto, os projetos que visem a mobilidade dessas pessoas são sempre relegados a um segundo plano como se elas não fizessem parte da população ou da sociedade.

Alunos da UNIT e do IFAL estão trabalhando em um estudo profundo sobre esses problemas e pretendem apresentar às autoridades soluções de mobilidade urbana que tenham a capacidade de mudar o panorama no estado de Alagoas.

O amigo Mozart Cintra (foto), irreverência em pessoa, deu uma excelente entrevista no Bartpapo e sem papas na língua, deitou falação sobre vários assuntos, incluindo os políticos. Vale a pena constatar esta semana na TV Mar.

MOZART CINTRA

ABRAÇOS IMPRESSOS

Os abraços vão para o cantor “alabaiano”, Igbonan Rocha (foto) com 30 anos de Maceió. Está no Rio de Janeiro participando de um tributo à Dona Ivone Lara. E, no dia 30 está completando mais um ano em sua vida. Parabéns, amigo.

IGBONAN ROCHA

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s