Categoria: Sem categoria

Ouvidor Geral 30-03-2020

PARAR OU NÃO PARAR, EIS A QUESTÃO!

                  Uma questão polêmica que mistura saúde pública, política e economia. Uma questão que envolve presente e futuro de nações sob aspectos os mais diversos criando uma crise mista de doença e de dinheiro, de sobrevivência ao mal instalado e de saída para o mal econômico, às vezes também mortal.

Como enfrentar o lado econômico, em alguns aspectos desprezando o lado saúde que, no caso em questão pede isolamento social, fechamento de peças que produzem o PIB de um país e que, pasmem, pode até parar de produzir materiais e serviços essenciais para a cura da pandemia que assola o mundo?

Um xadrez social está instalado com opiniões as mais diversas que vão desde aquelas que são desejadas por um grupo economicamente ativo e por outra que precisa pensar na cura das pessoas de maneira prática e objetiva.

O que definitivamente não pode acontecer é a falta de diálogo, de propostas, de soluções não impostas por lados que no fim das contas talvez estejam do mesmo lado, mas que se não tiverem o equilíbrio necessário aos bons jogadores de xadrez, sem dúvida alguma estarão se aproximando do impossível que será o xeque-mate duplo e sem volta. E aí fica a resposta que cada brasileiro deve dar conscientemente: Parar o que se pode ou não parar nada? Eis a questão!

 DESTACÔMETRO

DANÚBIO LACERDA

O destaque vai para o meu amigo, Danúbio Lacerda, misto de músico – que sax! – e “expert” em energia, um dos melhores conhecedores do assunto em nosso estado. O Bartpapo anda com saudades dele. E o telespectador também.

PÍLULAS DO OUVIDOR

O Ministério da Saúde destinou R$ 140 milhões para a construção do Centro Hospitalar Fiocruz para a Pandemia da Covid-19 que será implantado no Rio de Janeiro (RJ). A Fiocruz é referência em pesquisas sanitárias.

Diante da necessidade de manter os estoques e a rede abastecida de sangue, o Ministério da Saúde orienta à população que as doações de sangue devem continuar neste momento em que o país registra casos e óbitos de coronavírus.

Seguindo recomendações de evitar contato social o Ministério da Saúde passa a atualizar as informações por meio online. Neste momento, apenas os cinegrafistas e fotógrafos poderão participar presencialmente das transmissões.

O Ministério da Saúde publicou o Guia para o Manejo de Corpos no Contexto do Novo Coronavírus – COVID-19. O protocolo traz as recomendações de como devem ser realizados os funerais e o manuseio do cadáver nos hospitais. Triste!

Não fazer comparações entre a atual pandemia e a famosa Gripe Espanhola, que aliás nasceu nos Estados Unidos e não na Espanha em 1938. São diferentes e a espanhola matou muita gente em todo o mundo.  

Os micro-empresários, os informais de um modo geral podem ajudar a superar essa crise criando coisas que possam ser produzidas em casa e possam ser vendidas pela internet aumentando este mercado e ajudando na economia do país.

Quando se vê uma revolução de métodos e sistemas como essa, em função da COVID-19 verificamos como os valores vão mudando, como as pessoas vão se mostrando mais solidárias. Até porque, ninguém está livre da doença.

Não tiro por mim nem pela minha família porque sempre fomos muito unidos e dando valor ao colegiado, ao amor em primeiro lugar. Mas que essa crise de medo está ajudando no resgate dos velhos valores, não tenho dúvida.

Gente, meu What’sApp não para de crescer. É muita mensagem durante o dia inteiro. Tenho a impressão de que num dado momento vai haver congestionamento no popular meio de comunicação.

ALFREDO GASPAR  

Na foto de 2016, Alfredo Gaspar, procurador de justiça, nem sonhava em se tornar um dos mais fortes pré-candidatos a Prefeito de Maceió. Se houver eleição (ameaçada pelo coronavírus) Alfredo tem grandes chances.

ABRAÇOS IMPRESSOS

SILVIO CAMELO

                 Vereador por vários mandatos, depois eleito deputado e em seu primeiro mandato na Assembléia Legislativa vem mostrando raça, decência e categoria naquilo que faz e acredita. Nossos abraços, Silvio Camelo.

coluna BARTPAPO 27-03-2020

Coluna BARTPAPO com Geraldo Câmara – Tribuna Independente – 26-03-2020

                                          UM PAÍS SEM LIDERANÇA

                  É exatamente assim que somos. Ou que estamos. Um pais sem liderança e perdido ao meio de uma crise mundial sem que haja aquela força real, verdadeira e competente para guiar o nosso Brasil.

O nosso presidente que deveria ser essa liderança é a pessoa que mais insegurança dá ao país com suas idas e vindas de decisões ou de indecisões, com suas teorias alucinadas que deixa-nos a todos boquiabertos a perguntar “que mal fizemos para termos o que temos”.

A tomada de posição deste jornalista sempre foi a de torcer pelo futuro do Brasil, para que cheguemos a um bom lugar e para isto precisávamos torcer para que o novo presidente desse certo. Mas como torcer por um cidadão que comete tanta leviandade, que fala em cadeia nacional em caminho completamente contrário ao da razão, ao de todos os outros países?

As principais figuras da nação estão reagindo porque não há como não reagir a um presidente que, ao invés de tomar as rédeas de uma crise sanitária de vulto mundial fica a dizer na televisão que é melhor assumir o campo econômico porque as pessoas vão morrer mesmo e o país vai se acabar.

Não acaba não, presidente! Vamos cuidar da saúde deste povo porque no campo econômico ele vai saber dar a volta por cima. Nos revezes de desemprego, de inflação e de outras coisas mais as soluções sempre existirão e acho até que o seu Paulo Guedes conhece do assunto. Mas do “coronavírus” quem entende são os médicos, os cientistas, as equipes bem asseguradas com hospitais de todo o gênero, incluindo os de campanha porque aí sim, estamos em guerra.

O Brasil, presidente, está de “saco cheio” – desculpe o termo – de suas gracinhas televisivas, de seus maus exemplos cumprimentando pessoas nas ruas, apertando mãos e fazendo “selfies” enquanto o nosso atual inimigo, o vírus assassino espalha seu terror pelo mundo afora.

E tudo isto, porque o Brasil, infelizmente passa pela sua maior crise de liderança. Se o senhor, presidente, não sabe exercê-la, por favor, dê lugar a quem possivelmente saiba. Possivelmente!

ALERTAS DO DIA

* Que bela idéia, talvez a partir de hoje, a vacinação dos idosos ser feita dentro do carro sem perigo de se misturarem as pessoas. No Maceió Shopping das 08 às 16 horas. Beleza! Estarei lá.

* A prefeitura de Maceió prorrogou prazos de pagamento para o IPTU em função da crise instalada também em nossa cidade. Se cada um ajudar com sua parte sairemos das duas crises.

PARE PRA PENSAR

Entre a coragem e a covardia existe uma indecisão, às vezes corajosa, às vezes covarde. 

coluna BARTPAPO 13-03-2020

Tribuna Independente 

PANDEMIA PSICOLÓGICA E PERIGOSA

                      Sem dúvida, o mundo está vivendo sim, uma pandemia. A tradução é o nome que se dá a uma epidemia quando ultrapassa as fronteiras do seu país de origem e se espalha por outros países ou regiões. Até aí é entendível e muitas providências precisam e estão sendo tomadas para controlá-la.

O que nos leva, no entanto a este escrito é o outro tipo de pandemia que paralelamente se instala junto e com a original. A pandemia do pânico, a pandemia psicológica e de mudanças de hábitos sociais além da pandemia econômica que, verdadeira ou não, espalha-se como rastro de pólvora, contamina da pequena à macro-economia e provoca instabilidade de diversas modalidades no equilíbrio econômico mundial. É este equilíbrio que permite com que economias de países os mais diversos, dos maiores aos menores controlem suas performances e se mantenham na balança comercial mundial com a dignidade que lhe permite.

Com o excesso de informações negativas e no caso a pandemia verdadeira, os mercados perdem o fiel da balança e desajeitam todo o mundo refletindo-se na atividade das bolsas de valores, na flutuação do câmbio que, principalmente com o dólar mostra reações que beneficiam, no caso do Brasil, as exportações e desequilibram as participações dos investidores internacionais.

Nem sou “expert” nem pretendo dar aulas de economia por aqui, mas posso com certeza deixar claro que o “psiqué” das pessoas acaba por influenciar  decisões que vão das pessoais até às corporativas diminuindo obviamente as ações do PIB e com isso colocando países inteiros em disponibilidade para “craks” indesejáveis.

E aí perguntam os leitores: Tudo isso por causa de um vírus? Claro! Um vírus que cria o medo, o pânico,  o impedimento ao trabalho; diminui a produtividade, concede espaço à recessão.

Agora imaginem que o Brasil com cerca de cinquenta casos já começa a viver todos esses problemas. E o que diremos da China, hoje a maior fornecedora de materiais, principalmente os eletrônicos, do mundo? O que diremos dos países que têm o turismo como mola propulsora e são obrigados a fechar fronteiras, fechar o próprio país, como está sendo o caso da Itália?

Infelizmente a pandemia existe e está aí. Precisamos encará-la, não ignorá-la, mas enfrentá-la, sim. Com coragem, com determinação, deixando de lado os problemas que sejam puramente psicológicos e encarando com realidade os que sejam visíveis e vulneráveis. Caso contrário, não teremos  nenhuma perspectiva no que pode se transformar o mundo, pandêmico de vírus e pandêmico de pânico.

ALERTAS DO DIA

Só um alerta mesmo: o ministro da Saúde informou sobre a negociação com o Legislativo para liberação de até R$ 5 bilhões para ações de enfrentamento ao coronavírus.

PARE PRA PENSAR

O amor oscila a cada minuto e como relógio antigo precisa sempre dar corda.

Ouvidor Geral 09-03-2020

   O ZAP É INSTRUMENTO DE ROUBO

O famoso “Whats’App”, carinhosamente apelidado de Zap e tão afagado e usado por internautas de todo o mundo, sem dúvida alguma é reconhecido também como um instrumento de comunicação e de diálogo que, sem exageros, pode ser qualificado como ótimo. Só que agora também já serve como arma de criminosos que o estão usando para conseguir dinheiro de seus usuários. Esta semana recebi uma ligação de meu amigo Alberto (omito o sobrenome) informando que o telefone dele havia sido clonado e que estava sendo utilizado para pedir dinheiro aos seus amigos sob as mais diferentes modalidades e desculpas. Como se trata de uma pessoa de alta performance e sem necessidade de estar pedindo nada e muito menos através do Zap, nada de mais aconteceu. Mas, a orelha ardeu, as pessoas ficaram sem entender durante algumas horas e no final tudo acabou sendo resolvido sem prejuízo para ninguém. No entanto, se fosse um outro qualquer, uma pessoa que não tivesse uma certa instrução ou tirocínio, sem dúvida os assaltantes internautas se dariam bem. Daí o grande cuidado que se deve ter ao se entrar em qualquer campo da internet. Agora, mais ainda, no Zap.

DESTACÔMETRO

IGBONAN

O destaque de hoje vai para um cantor de primeira linha, entrosado com os movimentos sociais, ativista cultural e uma pessoa da maior grandeza. Falo de Igbonan Rocha, nosso homenageado da semana.

PÍLULAS DO OUVIDOR

Esta semana vou estar em João Pessoa para várias reuniões com o Tribunal de Contas da Paraíba e com a ATRICON visando soluções para uma maior integração daquele estado com o Jornal Atricon da nossa TV Cidadã.

O “streaming” que leva a TV Cidadã a qualquer lugar do mundo já está sinalizando a marca de mais de 5 milhões de visualizações, o que é absolutamente inédito para uma emissora oficial e de um estado nordestino.

Por conta disso, o Jornal Atricon que já está na sua décima edição tem tido uma valia extrema porque divulga as ações de todos os tribunais de contas do Brasil e não só o de Alagoas. Uma integração absoluta.

Em visita à Paraíba vamos aproveitar também, enquanto presidente da ABRAJET-AL para um encontro com Messina Palmeira, a presidente da ABRAJET-PB com a finalidade de trocarmos “know how” entre as entidades.

A propósito de ABRAJET-AL, esta semana fizemos a nossa primeira reunião ordinária e além de mil ações que precisamos desenvolver para colocar a entidade absolutamente em dia tomamos várias decisões que ajudarão a colocá-la no seu devido lugar.

Não se pode esquecer que a ABRAJET-AL faz parte do Conselho Curador de Turismo juntamente com outras instituições, como ABIH, ABAV, MCVB e, portanto precisa agir também em função do desenvolvimento do turismo.

O Tribunal de Contas de Alagoas vem aí com uma série de ações importantes lideradas pelo seu presidente Otávio Lessa e dentre elas, a aplicação do Processo Eletrônico integrado acabando com a circulação de papéis.

E Alfredo Gaspar de Mendonça partiu mesmo para uma nova luta, demitindo-se do Ministério Pùblico – o mesmo caso de Moro – e preparando-se para colocar seu nome à prova nas urnas de outubro. Um nome de peso na briga eleitoral.

Aliás essa questão de quem é quem no processo deste ano já virou um “imbroglio” de tal ordem que fica impossível dizer agora o que vai acontecer em outubro. Ninguém se entende e fora do eixo governo-prefeitura ninguém é de ninguém.

BAOBÁ

Neste último sábado, o Bartpapo Especial Almoçando com a Notícia aconteceu no restaurante Baobá, na Ponta Verde e liderado pela famosa Mãe Neide, a mesma que lidera a gastronomia da Serra da Barriga. Na foto os participantes do evento.

ABRAÇOS IMPRESSOS

ADENILTON E IVANI

O médico Adenilton Paulo Rocha e a esposa Ivani Rocha em momento de pose na comemoração do aniversário dele na última semana. Pense num casal que se gosta de graça. Parabéns Paulo!

coluna BARTPAPO 06-03-2020

Coluna “BARTPAPO com Geraldo Câmara”  – Tribuna Independente- 06-03-2020

                                     TIREM A CULPA DA NATUREZA

Nunca vimos tantas e poderosas enchentes como as que estamos vendo agora. Verdadeiras calamidades, sobretudo em cidades de porte maior onde os transtornos e os desastres têm sido profundamente marcantes. Ruas que nunca encheram, rios que nunca transbordaram, as surpresas vão chegando à medida em que os temporais também vão surgindo em nível cada vez maior. Os temporais, tudo bem, podemos creditar à natureza, ao aquecimento global – olha a mão do homem aí – mas as cidades, sem dúvida, são de responsabilidade única do homem, o maior predador da natureza.

As cidades mal projetadas e com crescimento absolutamente despreparado não sabem o que fazer com a má educação do homem que joga lixo onde não deve, que não cumpre as comezinhas regras de civilidade, que não pensa enquanto administrador em saneamento básico, em esgotos realmente factíveis. E não pensa porque, por mais modernos que sejam os hábitos e mais fiscalizados que sejam os governos, obra enterrada não gera voto. O que, aliás, deveria ser uma balela.

Nessa altura do campeonato pensar em esgotos, em desobstrução de galerias, em construção de novas, em modernização do serviço de águas, em vias que tenham menos impermeabilização asfáltica e que permitam um escoamento mais rápido das chuvas fica parecendo utópico. Mas, na verdade, o acúmulo de obras erradas e a ausência de muitas outras é que são as responsáveis pelos desastres que estamos vivendo.

Além do mais ficam as questões das encostas nunca respeitadas e com códigos urbanos permitindo construções perigosas e sempre sujeitas ao que há de pior quando as chuvas chegam pra valer.

Na verdade, as cidades são constituídas de verdadeiras armadilhas que sujeitam as populações aos mais freqüentes perigos. Fácil, no entanto, será sempre colocar a culpa na natureza; no excesso de milímetros chovidos durante um período e por aí vai.

Bom, no entanto, será o dia em que os governantes perderem o medo de fazerem as obras “escondidas” de que tanto suas cidades e estados necessitam ainda que venham a ser prejudicados pela ignorância eleitoral dos que só acreditam naquilo que podem ver e apalpar.

ALERTAS DO DIA

  • Este país dever ser um dos que mais desrespeitam a Constituição, nossa Carta Magna, o termômetro da democracia. Um exemplo está nas greves e nos motins do Ceará que não estavam nem aí para o artigo da Constituição que proíbe greve dos trabalhadores, militares ou não, ligados à segurança do estado ou do país. É bom abrirmos o olho para o desrespeito.
  • Acho que essa palavra que escrevemos agora é bem capaz de virar neologismo entre nós: “econovírus”. Sério problema mundial que já se mostra nos vários países em que a economia se vê afetada pela pandemia do Coronavírus.
  • Vamos brincar agora de aumentar tarifas de fornecimento de eletricidade pensando só no lado de quem fornece? A Equatorial por mais direito que tenha a um reajuste não pode pensar em mais de 12% . Um absurdo que vai deixar muita gente sem luz em casa.
  • E o Alfredo Gaspar deixou mesmo a carreira de promotor de justiça! Algo que a maioria não esperava muito menos alguns candidatos.

PARE PRA PENSAR

O amor é a mais poderosa arma que é permitida portar. Usem e abusem.

 

 

Ouvidor Geral 02-03-2020

ALAGOAS SE MANDA PELO MUNDO
O turismo de Alagoas vem dizendo para o que veio e há muito tempo o
estado se lança pelo mundo fazendo valer sua personalidade e sua vocação para receber
turistas de qualquer lugar. No momento, olhos voltados para Portugal, as autoridades à
frente o dinâmico Rafael Brito, secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de
Alagoas, partiremos com força para Portugal. Ainda com o contentamento da chegada
da nova rota Maceió-Lisboa que se iniciará a partir de junho, novos ataques serão
concretizados com a ida à BTL que é a Feira de Turismo de Lisboa e depois com mais
algumas ações naquele país, uma delas reunindo cerca de 400 operadoras de lá
exclusivamente para nos ouvir e apreciar nossas ofertas. O trabalho de casa está sendo
feito com louvor, com atitude, com objetividade e com o carinho que o estado de
Alagoas merece junto ao turista internacional que, sem dúvida, começa a chegar com
êxito e gáudio de todos nós.

DESTACÔMETRO

GEOBERTO 2 E MÁDALA
O destaque vai para o casal Mádala e Geoberto Espírito Santo que
receberam bem nas prévias de carnaval fazendo a deles e a dos amigos acontecer em sua
residência. Simpatia e alegria são dois componentes desses dois nossos amigos.

PÍLULAS DO OUVIDOR
Em boa hora o governo através do Ministério da Saúde resolveu antecipar e
reforçar a campanha de vacinação contra a gripe sob o argumento de que casos
suspeitos de Corona Vírus podem aparecer melhor para os vacinados contra gripe.

A propósito do vírus que se espalha mundialmente por vários países o que ele
também está provocando é uma enorme contaminação econômica que poderá ser
uma das maiores do mundo se a crise sanitária continuar a existir.

Além do perigo de histeria coletiva, o que poderá ser um grande problema de
ordem psicológica, uma vez que o apavoramento da população começa a criar
atitudes de repúdio a hábitos sociais existentes.

Vejam por exemplo, quando se recomenda que não se aperte a mão de ninguém,
que não se cumprimente com beijos e outras coisas mais irão afastar as pessoas
entre si, mudando comportamentos sociais até agora sempre salutares.

E essa mudança de comportamento provocado pelo fator Corona pode criar fobias
coletivas absolutamente irreais, onde própria mídia é responsável. Há que ter
muito equilíbrio nas inter-relações até se a pandemia acontecer de fato.

E no meio disso tudo a política continua, as discussões produtivas ou não estão por
aí e até o nosso presidente dá uma de baixo nível e fica atacando o Congresso
Nacional, desrespeitando a constituição e colocando sua cabeça a prêmio.

Digo a prêmio porque várias autoridades da área jurídica já estão se posicionando
e relatando que a atitude dele pode se enquadrar em pedido de “impeachment”,
acelerando uma crise institucional fora de propósito e que ninguém deseja. Acho.

A Fiea, por meio de sua Área Internacional (CIN/AL), preparou uma série de
ações estratégicas com o objetivo de favorecer a internacionalização de empresas
alagoanas, além de diversificar a pauta exportadora do Estado.

São consultorias, missões e estudos de inteligência comercial, participação em
feiras nacionais e internacionais, entre outras. Uma das principais atividades está
confirmada em 2020: é o VII Encontro Internacional de Negócios (Enin).

RENAN FILHO E LUCIANO

O governador Renan Filho (foto) continua sua trajetória de bom governo
prestigiando seu vice, Luciano Barbosa que vem se comportando admiravelmente
ocupando também a secretaria de estado da educação. Coisa, aliás, onde é mestre.

ABRAÇOS IMPRESSOS

FAILDE MENDONÇA
Os abraços impressos mando esta semana para a promotora, agora
aposentada Failde Mendonça que, no entanto, continua ativamente dando consultoria a
empresas e fundações com toda a competência que anos de MP construíram.

coluna BARTPAPO 28-02-2020

Coluna “BARTPAPO com Geraldo Câmara”  – Tribuna Independente- 28-02-2020

                             ELE ESTÁ BATENDO DE PORTA EM PORTA

           Deixem as brincadeiras de lado e fechem as portas do mundo porque tudo indica que ele não veio para brincar. Mas pelo jeito gosta de viajar, de conhecer novos lugares e pessoas e entre tapas e beijos espalhar o mal de que é revestido. No princípio era na China e, talvez porque lá tenhamos mais de um bilhão de habitantes ele tomou-se de amores por um sem número deles e apavorou o mundo. 

            Agora está se espalhando pela Europa, dando o ar de sua graça, ou melhor, de sua desgraça dentro dos navios, voando nas melhores companhias aéreas e se espalhando por onde pode.

            Na verdade nenhum país estava ou está preparado para receber um vírus tão violento quanto o Corona porque todos foram pegos de surpresa, mas é exatamente aí que devemos desacreditar de que somos diferentes e não podemos tê-lo. Claro que sim. Então, vamos nos preparar na medida do possível, principalmente sem colocar nossos  narizes onde não somos chamados. Para que viajar, por exemplo, para países que estão mais sujeitos ao risco? Porque gostamos de aventura? Pulemos de paraquedas, mas não nos entreguemos a riscos que não conhecemos.

             O Corona Vírus não veio para brincar o carnaval nem para fazer graça diante de nossos olhos. Estamos frente a uma quase pandemia, o que quer dizer que toda a vida terrestre está ameaçada por ele. Se é fraco ou se é forte não o sabemos ainda, mas a tendência do vírus é se fortalecer se não for combatido ou pelo menos prevenido. E quando falamos em pandemia que significa que o vírus sai das fronteiras do país de origem e se alastra por outros, também quer dizer que todos os países ficam sujeitos ao mal e que devem se acautelar e contribuir, cada um de per si e todos por todos para que os malefícios sejam minorados o mais possível.

              O fato é que o Corona Vírus está aí, devidamente coroado e querendo reinar a todo o custo. Vamos ajudar cada um com o que pode, a terminar o mais rápido possível com este reinado absurdo, intrigante e maléfico.

ALERTAS DO DIA

 

  • O abuso de operadoras de telefonia e as de telemarketing também ligando a qualquer hora para nossos celulares merece uma reação. E nem adianta bloquear os números porque são centenas se revezando. Um absurdo!
  • O assunto acima ainda deveria ser analisado juridicamente tentando-se qualificar como crime de invasão de privacidade ou coisa parecida. Como está não dá.
  • Será que alguém acertou a mega sena de 200 milhões? Se ganhou se esconda bem escondidinho e se ninguém ganhou, ai, ai, é hora de sonhar de novo!
  • O absurdo está sendo a greve de policiais em Fortaleza tirando de circulação a população séria da cidade. É preciso acabar com isto mostrando autoridade e não moto-escavadeiras. Aliás, quem usou foi com a autoridade de que mesmo?

 

 

PARE PRA PENSAR

Quem é fiel por convicção não precisa jurar fidelidade sob pena de acharem que jurou em falso.

 

        

            

Ouvidor Geral 03-02-2020

              DEPENDE…

Se você vai ler este artigo até o fim depende… Depende de ter vontade, depende de se interessar pelo tema…depende! Este país é o país do depende! Vivemos na dependência do depende desde há muito tempo e ainda que o Pedro I tenha declarado a independência o reconhecimento do ato até hoje depende de muita coisa, de muito esclarecimento, de muita vontade. E tudo na vida depende. Para se criar bem um filho depende. Do dinheiro que você tenha, da vontade que ele tenha, do tipo de pais que são vocês…depende. Para se fazer um país melhor, mais igual depende. Depende do seu voto, de quem recebeu seu voto, depende do voto alheio e depois depende dos votos do Congresso porque aprovar um projeto depende e depende de tanta coisa q        ue para ser um governante neste país do depende, depende de muita gente. Para ter saúde por aqui depende da sorte, do médico que lhe atendeu ou depende de onde você nasceu que para ter médico depende de outras coisas que entre si dependem umas da outras e numa corrida avassaladora contra o tempo o desenvolvimento depende até do tempo, das tempestades, das enchentes, dos furacões e depois para consertar o que a natureza destruiu depende de quem está lá, depende da solidariedade, depende da seriedade e se eu for continuar nessa lista de depende você vai verificar que ninguém é independente e que para um dia tentar ser juro pra você que…depende!

DESTACÔMETRO

SIDRACK E VINICIUS

O destaque vai para pai e filho, Sidrack e Vinicius Ferreira que, através da sua Play TV terceirizam os trabalhos técnicos da TV Cidadã do TCE-AL desde a sua fundação. Com grandes méritos para a dupla e equipe.

PÍLULAS DO OUVIDOR

O mundo não está para brincadeiras. O coronavírus está aí ameaçando a humanidade e fico me perguntando se é natural ou se faz parte de uma guerra biológica. Não sou pessimista, mas precisamos pensar em tudo. Até nisso.

Afinal, vivemos uma época em que as ameaças são constantes e em que presidentes com idéias bélicas estão à frente de países importantes no mundo capazes sim, de muitas coisas inclusive a de aterrorizar o mundo em benefício próprio.

Alagoas é privilegiada com os seus líderes não só nas ações públicas mas também na iniciativa privada. Prova disso é a enorme capacidade de liderança de José Carlos Lyra, o sempre atuante presidente da FIEA.

Pense numa pessoa que está sempre ligada nos assuntos do setor que preside mas também em tudo que possa significar desenvolvimento e estímulo para o estado de Alagoas. Parabéns sempre a José Carlos Lyra de Andrade.

Na próxima quarta-feira nossa posse como presidente da ABRAJET, assim como dos presidentes Carlos Palmeira (ABAV), André Santos (ABIH), Thiago Falcão (ABRASEL), Glênio Cedrim (MCV&B), Afrânio Lages (SINDHAL) e Marcelo Marques(SHRBS. No Hotel Jatiúca às 8:30h.

De nossa parte já estamos andando com o crescimento e a renovação de quadros, implantação de “site”, mídias sociais em geral e um planejamento para um entrosamento com todos os órgãos de turismo do estado.

O amigo Geoberto Espírito Santo tem sido prestigiado com seus artigos pela importante revista Valor Econômico o que é de se esperar já que Geoberto é um dos “experts” do quadro.  O último, “A destruição criativa do setor elétrico” está no nosso blog que você acessa pelo geraldocamara.com

A propósito de escrever, nosso livro “Pare pra Pensar” já está sendo vendido na excelente livraria LA CITTÁ que está localizada na Rua Mário de Gusmão, 737 bem ao lado da Multicoisas. E também à venda pela Internet no site quilombada.com.br

Nos dias 20 e 21 de março será realizado no Best Western Premier Maceió o Congresso Brasileiro do Secretariado Executivo e Chefes de Gabinete: Desafios do Século 21. Uma iniciativa de Kátia Albuquerque, mestra no assunto.

CANGURU 2 PARK

Estivemos realizando um trabalho magnífico para o nossos Bartpapo com Geraldo Câmara, na BAND. Um “Almoçando” especial no CANGURU PARK, entre Arapiraca e Limoeiro de Anadia. Um oásis, de verdade. (foto)

ABRAÇOS IMPRESSOS

BAILES

Precisamos tirar o chapéu para os bailes pré-carnavalescos da cidade nessa época encantada. Turminha animada com Vanessa Câmara e família de Leonardo Júnior  na foto representando os inúmeros foliões que encheram os salões no Jaraguá Tênis Clube, no Pierre Chalita e no Iate clube Pajussara.

A DESTRUIÇÃO CRIATIVA

A DESTRUIÇÃO CRIATIVA DO SETOR ELÉTRICO

Geoberto Espírito Santo

Personal Energy da GES Consult

(Publicado no jornal Valor Econômico, no dia 29 de janeiro de 2020)

 

Nosso setor elétrico viveu três modelos: privado, estatal e o híbrido, agora agonizante. A MP 579 foi o ápice, num conjunto de distorções que chamamos de Tempestade Perfeita. O que vai surgir não sabemos nominá-lo, mas está alicerçado numa transição energética mundial com base na pressão ambiental, forte evolução tecnológica e participação mais ativa do consumidor nas decisões.

O Movimento de Realocação de Energia (MRE) foi idealizado quando hidrelétricas participavam com 99% da produção de eletricidade e as geradoras estatais. Hoje, com 64% de hidro, ficou defasado com a transferência de energia entre os subsistemas também com eólicas, solares e térmicas, custos diferentes e empresas privadas. 

A Média de Longo Termo (MLT) referência para planejamento e operação hidrelétrica, precisa ter valores revistos por causa de um novo regime de chuvas, outorga de água para a indústria, irrigação, térmicas, consumo animal e humano e água retirada clandestinamente por máquinas de baixo rendimento e maior consumo. A fiscalização carece de maior eficiência para dimensões continentais. Ninguém se atreve a propor uma nova legislação balizadora para as decisões desses órgãos, que continuam utilizando valores irreais porque precisam cumprir a lei. 

Para a inserção das renováveis foi contratada uma “energia de reserva”, adquirida nos Leilões de Energia de Reserva (LER), ao mesmo tempo assinando contratos de “Energia Garantida”, depois chamada de GSF (Garantia Física do Sistema). Baixas afluências e um sistema hidrotérmico refletiram na aversão ao risco e na geração fora da ordem de mérito para a remuneração da GSF. Outros fatores fazem parte dos valores não recebidos pelo não cumprimento da garantia física, que não estão diretamente ligados com o conceito: deslocamento por energia importada, contratação de energia de reserva, restrições da transmissão e a antecipação da GFS para novas hidrelétricas, estratégia que usa a conclusão antecipada da obra para vender no mercado livre. No início, a conta da GFS era de R$ 8 mi e a postergação da resolução hoje acumula R$ 8 bi em dívidas. Já chegou ao Legislativo e ao Judiciário, que parece despreparado para a extensa legislação do setor elétrico, deixando a dúvida de quando será resolvida.  

Na promessa de menos 20% nas contas luz, tivemos a renovação antecipada das concessões na geração, “aceita” pelas empresas estatais que passaram a fornecer energia num regime de cotas, um rateio anual de suas garantias físicas. Estão recebendo uma Receita Anual de Geração (RAG) baseada em R$ 107,86/MWh. Agora dizem que, se forem retirados os pagamento dos encargos de uso e conexão, custos do P&D e PEE, receita adicional por remuneração de pequenas melhorias, investimento em bens não reversíveis e taxa de fiscalização dos serviços de energia elétrica, sobram R$ 40/MWh e não dá para manter a sua custosa estrutura de O&M (Operação e Manutenção). Falam na “descotização”, ou seja, voltar a vender com preços de mercado a energia que já foi paga pelo consumidor.

Finalmente deixamos de pagar o empréstimo bancário de R$ 34 bi, feito pelas distribuidoras para tapar o buraco contábil do custo adicional das térmicas, nele embutidos R$ 12,8 bi de juros.

A “Taxação do Sol” é o último estágio de uma discussão séria sobre geração distribuída e seu custo-benefício, uma questão de velocidade, tempo e transferência de tecnologia que envolve hoje subsídios anuais de R$ 300 mi e renúncia fiscal. O Presidente tem razão para demitir quem, no Governo, falar em taxação do sol, manipulação da falta de conhecimento da população e para ampliá-la com a desinformação. O Parlamento parece que, mais uma vez, em nome do povo que o elege, vai continuar beneficiando diretamente lobbys que também participam da sua eleição. E por falar em subsídios, os sem painel vão pagar R$ 21,9 bi em 2020, via Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), para custear a distribuição, ACL (Ambiente de Contratação Livre), consumidores rurais, CCC (Conta de Consumo de Combustíveis), tarifa de baixa renda, Luz para Todos, cooperativas, TUST (Tarifa de Uso do Sistema de Transmissão), carvão nacional, CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica), restos a pagar e reserva técnica. Na questão financeira essa soma dá 120 e só poderia ser 100. Ninguém quer perder sua parte nos 20 que sobram, mas a legislação/regulação vai ter que desagradar alguns.

O novo modelo, além de resolver essas e outras questões não citadas da Tempestade Perfeita, tem que fazer uma Destruição Criativa no atual, mas de forma que continue assegurando o fornecimento e melhorando a qualidade dos serviços. A Destruição Criativa teve como base esse livro de Richard L. Nolan e David C. Croson e refere-se a um conceito do economista austríaco Joseph Schumpeter relativo a inovação, destruição criadora e desenvolvimento, quando questiona porque empresas feitas para durar terminam sucumbindo.

Além do controle das descargas dos raios, o novo modelo tem como pano de fundo a eletrificação da sociedade e a inteligência artificial. Quem vai pagar o que na separação lastro-energia? O PLD (Preço de Liquidação de Diferenças) horário é um passo para a portabilidade elétrica. Para aproveitar a conexão e as curvas de geração de eólicas e solares, teremos leilões híbridos e regionais. Apesar do imenso potencial eólico onshore, a pressão das tecnologias offshore já começou e, sequer, temos Termo de Referência (TR) para licenças ambientais. Se para cada elétron renovável vamos precisar de dois elétrons na base, como vai ser a integração setor elétrico x gás natural, que precisa de mercado, infraestrutura para GNL (Gás Natural Liquefeito) e gasodutos? Qual fonte vai fornecer energia na madrugada, para uma mobilidade elétrica urbana recarregada enquanto dorme o seu condutor? O armazenamento de energia vai ser viável, mas o que pode representar na transmissão e na distribuição? A precificação da água já começa a ser falada numa visão de escassez, mas as hidrelétricas não vão pagar porque não consomem. Como vai ser a segurança cibernética de nossas instalações e fluxos comerciais, se hackers podem desligar linhas e subestações para pedir resgate? Novos negócios no setor elétrico precisam ser remunerados, mas quando a ANEEL vai implantar a regulação por incentivos?

Geoberto Espírito Santo

Personal Energy da GES Consult

 

(Publicado no jornal Valor Econômico, no dia 29 de janeiro de 2020)

Coluna BARTPAPO 31-01-2020

Coluna “BARTPAPO com Geraldo Câmara”  – Tribuna Independente- 31-01-2020

                DE BRAÇOS ABERTOS, É?

O ministro Paulo Guedes declarou em uma entrevista na Índia que o Brasil estava pronto para receber o Corona Vírus. Deus me livre! Queremos esse tal vírus bem longe daqui, mas de toda forma a frase do ministro foi apenas infeliz. Sabemos o que ele quis dizer e na verdade tentou acalmar os ânimos dos brasileiros quanto aos perigos dessa nova doença, praga,  lá o que seja que já está grassando por 14 países e que já tem um caso suspeito aqui no Brasil. Mas a verdade também é que a frase de efeito de Guedes perde todo o sentido na medida em que sabemos que o Brasil não está preparado para essa possível chegada porque – nem precisamos ir muito longe – não estamos prontos nem para fazer frente aos menores e usuais problemas de saúde que estão por aqui.

Postos de saúde sem médicos para atendimento, escassez de remédios de todas as qualidades, judicialização da medicina por todos os cantos para que alguns brasileiros possam ser atendidos com remédios e doenças já conhecidas por todos nós. Um Sistema Único de Saúde que realmente dever ser único na ineficiência, na má administração de seus atendimentos, em tudo!

Então vem a pergunta que não quer calar: Se não estamos preparados para receber doentes de doenças as mais simples por aqui, como vamos estar prontos para enfrentar uma ilustre desconhecida que teima em sair de seu país de origem, a China, espalhando-se maleficamente pelo mundo afora?

Senhor ministro, o brasileiro não pode ser tão ingênuo assim a ponto de acreditar em suas “inocentes” palavras. Ou então, faça o seguinte: chegue de viagem, analise tudo, veja quais são os planos do Ministério da Saúde, se é que existem e faça uma exposição factível e sobretudo verdadeira para que o povo possa acreditar que realmente o país sabe o que faz e está decidido a combater o tal coroado vírus se por aqui ele aparecer.

O fato é que estamos cansados de ouvir palavras vãs quando o leite já está derramado. Precisamos de verdades constatadas em cima dos fatos. O fato existe? O perigo é iminente? Então mostre as armas, os métodos, as táticas, as estratégias da guerra antes que ela comece. E esperando que ela nem comece. Principalmente com um inimigo tão oculto.

ALERTAS DO DIA

  • Cuidado com o que se ouve na televisão. Às vezes os absurdos estão escondidos nas pequenas diferenças que existem na língua-mãe. Um apresentador disse que o perigo do Corona Vírus era “eminente” e não “iminente”. Isso é que é um vírus santificado!
  • O da Cultura dançou! O segundinho da Casa Civil dançou também! Se formos contar o número de auxiliares do governo Bolsonaro que já dançaram o Faustão vai poder fazer uma Dança dos Famosos para lá de diferente!
  • Para quem não conhece as atribuições do Tribunal de Contas olha aí a prefeitura de Maceió que vai ter que pagar os subsídios que deve à Veleiro. A decisão, a princípio monocrática do Conselheiro Rodrigo Cavalcante foi ratificada pelo plenário daquela instituição na última terça-feira.
  • Alerta pessoal: o nosso livro “Pare pra Pensar” estará nas livrarias da cidade e algumas bancas em breve e também será ofertado pela internet. Aguardem notícias. Até porque o inusitado do livro é o fato de ser o primeiro interativo.

PARE PRA PENSAR

Não se compare com ninguém. Compare os outros a você e veja onde melhorar.